Net-a-Porter e amigos comemoram o lançamento do Lingua Franca


  • Rachelle Hruska MacPherson Rachel Blumenthal e Vogues Selby Drummond
  • Ann Dexter Jones e Gina Gershon
  • Sarah Rutson Vogues Emma ElwickBates e Tracy Taylor

Lingua Franca (que, apropriadamente, significa linguagem comum) surgiu há menos de um ano como um projeto de alívio do estresse para Hruska MacPherson, cujo terapeuta recomendou que ela encontrasse algo para fazer com as mãos. Sessenta suéteres para amigos depois, Hruska MacPherson recrutou uma assistente para ajudá-la com os pedidos. Mas as coisas realmente decolaram quando Sarah Rutson, vice-presidente de compras globais do Net-a-Porter, viu um suéter no Instagram. “O primeiro pedido foi de 1.000 e está quase totalmente esgotado”, disse Hruska MacPherson. A linha NAP apresenta suéteres de cashmere extramacios em marinho, camelo e cinza urze bordados com frases comoA noite todaeFoi tudo um sonho. Cada peça é costurada inteiramente à mão e inclui uma etiqueta interna que permitirá que você saiba qual equipe de 30 esgotos de Hruska MacPherson emprestou suas habilidades a qual frase atrevida. Ela acredita fortemente que os clientes sabem pelo menos um pouco sobre a origem de sua peça e quem trabalhou duro para criá-la. E depois de tudo o que aconteceu no mundo esta semana, Hruska MacPherson se sente ainda mais apaixonada por infundir humanidade em sua marca. “Eu tenho que usar o que tenho para fazer minha mensagem chegar lá”, disse o empresário da Internet que se tornou um designer acidental. 'Isso é bom.'